.

Erudito + Popular = Ótimo resultado

Não acredito que a música erudita "brigue" com a música popular. Talvez seus intérpretes. Mas, por questões mal resolvidas, afinal, a música é uma só. Talvez sua única divisão seja entre a música boa e a ruim (ainda assim, envolvendo a questão do gosto pessoal). Prova disso é que quando diferentes vertentes se unem, geralmente o resultado é extraordinário. É o caso de roqueiros que se encontram com orquestras. E músicos eruditos que executam música populare, como no caso da Orquestra Jazz Sinfônica, entre outras.

Outro exemplo é um quinteto de sopros, atualmente radicado no Rio de Janeiro, mas que tem uma história de quase 50 anos. O Quinteto Villa-Lobos começou a carreira em 1962 com a proposta de divulgar a música de câmara brasileira no país e no Exterior. O grupo realiza um trabalho de ponta no campo da música erudita e também é destaque na música popular, interpretando clássicos de Ernesto Nazareth, Pixinguinha e Anacleto de Medeiros além de artistas da MPB como Edu Lobo, Nara Leão, Roberto Carlos e Wagner Tiso.

Neste mês de maio, este quinteto tem duas datas especiais: No próximo dia 11 de maio, poderá receber pela segunda vez (a primeira foi em 2001) o prêmio como melhor conjunto de câmara no XII Prêmio Carlos Gomes, que até 05 de maio recebe o voto popular através da Internet. E, no domingo seguinte (17/05), lançará seu décimo álbum: Villa-Lobos - Um Clássico Popular. O espetáculo será no Auditório Ibirapuera, em evento gratuito.
O quinteto é formado por Luis Carlos Justi (oboé), Antonio Carrasqueira (flauta), Paulo Sergio Santos (clarinete), Philip Doyle (trompa) e Aloysio Fagerlande (fagote). Além do site, o grupo também está no Twitter e no MySpace.

Na tela
O quinteto executa uma bela versão de Trenzinho do Caipira (Villa-Lobos), em show no Auditório Ibirapuera, realizado em 2007:

3 Opiniões:

Raphael Rap disse...
3/5/09 12:19 PM
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Raphael Rap disse...
3/5/09 12:19 PM

Não sabia de todo esse teu interesse pela música... percebo que me enganei ao ver esse três últimos posts...

Não conhecia o quinteto, mas já tive o prazer de participar de um curso de verão em Brasília onde quem lecionou clarinete pra gente durante duas semanas foi o Paulo Sérgio, o cara tem uma bagagem de informação imensa para passar. Muito bom...

Fábio [DoxaBrasil] disse...
3/5/09 1:52 PM

Pois é... A música já fez mais parte da minha vida. Estudei muitos anos piano, flauta e sax. E cheguei a fazer um ano de Composição e Regência na UNESP. Mas, às vezes, a vida toma outros rumos. Hoje, virou um hobby.
Abraço!

Google