.

Pausa

Férias no serviço.
Férias na faculdade.
Férias dos filhos.
(Ops, quero dizer:
Filhos em férias)
Volto em agosto.
(Se não entrar em crise de abstinência)

Sonora dor

Exatamente há uma semana atrás (10 de julho), Paulo Moura participou de uma jam session muito especial. Debilitado por um câncer que preferiu manter incógnito enquanto pôde, o grande músico brasileiro recebeu alguns amigos na varanda da clínica em que estava internado. Nesta semana, o cineasta Eduardo Escorel postou um vídeo emocionante da execução do clássico Doce de côco, de Jacob do Bandolim e Hermínio Bello de Carvalho (confira o texto, no site da Revista Piauí), a última vez em que o músico tocou seu instrumento. Ao teclado, ninguém menos do que Wagner Tiso. Dia 13, dois dias antes de completar 78 anos, Moura nos deixou. Mas, sua música estará sempre presente.

Despedida from Eduardo Escorel on Vimeo.

Artista de todos os ritmos, aqui Moura esbanja talento no
programa de Rolando Boldrin, Sr. Brasil (TV Cultura SP):

Aqui, no lançamento do seu último CD, Bossa Batuta,
realizado dia 19 de junho, no SESC Pompéia (SP):

(Confira outros vídeos aqui)

Capa da Semana (109)

Aqui em São Paulo (Diário de S. Paulo) e em Fortaleza (Diário do Nordeste) o destaque do clássico (?) Ceará  0 x 0 Corinthians foi a marcação cerrada em cima de Iarley:

Protocolos

Jornalismo é cheio de protocolos. E, quanto maior a empresa que o emprega, maior o número de regras. Que o digam Fernando Vanucci (afastado do Esporte Espetacular, em 1999, após entrar no ar mastigando) e, recentemente, Zeca Camargo (que bocejou bem na hora que o Fantástico voltou do comercial). Mas, o campeão da quebra de protocolo do momento não é um jornalista, mas sim o namorado da repórter Sara Carbonero, o campeão do mundo Iker Casillas, que deixou a jornalista encabulada, ao vivo, logo depois da vitória d'A Fúria. Carbonero cobriu a Copa do Mundo para o canal espanhol Telecinco. Sobre o assunto, meu amigo e jornalista Gabriel Louback foi bem direto:

Às favas o profissionalismo. Às favas as regras frias, e até desumanas, do jornalismo. Às favas o bom comportamento esperado e os protocolos. Sou campeão do mundo, salvei minha seleção e essa mulher linda não para de me olhar e de sorrir para mim. Não faz sentido tê-la ao meu alcance e me obrigar a manter distância. Não faz sentido falar nada, como se fosse uma desconhecida. Vem cá, minha nega:

Retratos & Reflexos (109)


Simetria, by Raul Santos

Multiplicidade

Sam Tsui levou a sério que a melhor voz para harmonizar com a nossa.... é a nossa. O medley (abaixo) de músicas do Michael Jackson já tem mais de 10 milhões de acessos. A página do YouTube é do produtor e arranjador Kurt Schneider. Antes de cantar consigo mesmo, Sam participou do tradicional grupo a capella The Duke's Men, da Universidade Yale.

Humor de 1ª na Segunda (109)

O segredo de Paul, o polvo vidente, finalmente desvendado:

Capa da Semana (108)


Todas as atenções da Espanha estão voltadas para a
África do Sul, como mostra a capa do jornal El País.

Repercussão

CASO ELIZA SAMUDIO
A vítima julgada pela imprensa
Por Ligia Martins de Almeida em 6/7/2010

Eliza Samudio provavelmente vai fazer parte de uma estatística que coloca o Brasil acima do padrão internacional: o assassinato de mulheres (são dez por dia no nosso país) por motivos torpes. Elisa – por enquanto considerada desaparecida – é a ex-namorada (ou amante, como preferem alguns jornais e revistas) do goleiro Bruno, do Flamengo.

O estudo Mapa da Violência no Brasil 2010 mostra que as taxas de assassinatos femininos no Brasil são mais altas do que as da maioria dos países europeus, cujos índices não ultrapassam 0,5 casos por 100 mil habitantes, mas ficam abaixo das nações que lideram a lista, como África do Sul (25 mulheres em cada 100 mil). No Brasil são 4,2 mulheres por 100 mil habitantes: "Quanto mais machista a cultura local, maior tende a ser a violência contra a mulher", diz a psicóloga Licursi Prates em matéria publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo (4/07/2010). Segundo o estudo, mulheres são mortas por questões domésticas: os assassinos são atuais ou antigos maridos, namorados ou companheiros. "Por serem ocorrências domésticas, às vezes a prevenção é mais difícil", disse a delegada Elisabete Sato, chefe da divisão de Homicídios do DHPP, ao jornal. (Leia na íntegra no Observatório da Imprensa)

Retratos & Reflexos (108)


Premiado fotógrafo espanhol, desde 1990 Chema Madoz incorpora humor e criatividade a objetos do cotidiano, transformados em obras de arte através de seus cliques em preto e branco. Em 2007, o artista expôs no CCBB RJ.

Talentão

Hoje, Antonio Pecci Filho completa 64 anos. Não sabe de quem se trata? Talvez o apelido ajude: Toquinho. Compositor, cantor e grande violonista, foi parceiro de Jorge Ben (ainda sem o jor...), Vinícius de Moraes e tantos outros. Confira uma apresentação ao vivo em que o Poeta e Toquinho executam Tarde em Itapuã:


Mais recente, uma apresentação de Toquinho com o jovem Yamandu Costa, com Bachianinha nº 1:

Humor de 1ª na Segunda (108)

Capa(s) da Semana (107)

Não entendo a língua, mas a Copa do Mundo também é manchete dos principais jornais holandeses, Algemeen Dagblad e Het Parool:


Inclusão

Domingo, ouvindo o Fantástico (isso mesmo, não estava assistindo, apenas ouvindo...), percebi uma voz diferente. Pesquisei e descobri que era Flavia Cintra, nova repórter da emissora. A história de vida dela é muito bonita e você pode conferir algumas passagens no blog Memórias de uma mãe cadeirante. Aliás, a história dela serviu como inspiração para a protagonista da novela Viver a Vida (leia a respeito). Confira a primeira matéria que ela fez para o programa dominical:
Google