.

Lançamento de Revista

Retrospectiva

Nos últimos 3 anos tive a oportunidade de ter alguns artigos publicados no Observatório da Imprensa:
16/05/2006 - Que fonte é essa?
01/11/2005 - Um produto à venda
18/10/2005 - Desastres, imprecisões, reflexões
12/04/2005 - Comparar tarefas ajuda a decidir
17/08/2004 - Quem precisa de conselhos?
10/08/2004 - Tudo para dar certo. Menos o visual...
27/07/2004 - Formando talentos ou jornalistas em série?
20/07/2004 - Aqui jaz o sensacionalismo
25/05/2004 - Vamos fazer um regiminho??? (Obesidade Informativa)
18/05/2004 - Jornalismo ou Noticialismo???
16/12/2003 - Mitologia Construída
02/12/2003 - Hora de se antenar
Depois de ler, deixe seu comentário por aqui!

Órfãos do Rock

A cena paulista já foi melhor suprida para os amantes do bom e velho rock. Numa cidade que já teve a 89 FM, a Rádio Rock e Brasil 2000, só resta agora a Kiss FM (e olha lá, hein?). Particularmente, desisti e acabo ouvindo a eclética Eldorado FM (com alguns refugiados ex-89FM) e rádios-notícia (CBN e Band News) em virtude da minha ligação com a área jornalística.
Mas, para quem ainda não entendeu muito bem qual será o caminho a ser trilhado pela ex-Rádio Rock (89 FM), aqui vão alguns links:
http://www.radioagencia.com.br/noticia.php?noticia=10089&categoria=1
http://www.radioagencia.com.br/noticia.php?noticia=10182&categoria=2
E, como nem tudo é tristeza, achei um link de um blog com algumas idéias interessantes:
http://tordesilhas.net
É isso aí, só nos resta comemorar um recomeço no bom futebol brasileiro, com a vitória em 4 a 1 em cima do time do Galinho de Quintino. Muito embora eu, particularmente, não ganhe nada com isso, nem financeiramente, nem moralmente, nem... Mas, deixemos o pessimismo de lado e, eufemisticamente, vamos tocar a bola prá frente!!!

Jornalistas e Jornaleiros

Ops! Desculpem-me os jornaleiros, pelo trocadilho. Afinal, esta é uma profissão que possibilita que o trabalho dos jornalistas chegue nas mãos de muita gente... Mas, foi a primeira coisa que pensei, depois de ler o relato do repórter de O Estado de S. Paulo, Wilson Baldini Jr., contando o episódio vivido por ele semana passada, quando um "repórter" mexicano pediu que o brasileiro desse uma entrevista para ele, como se você um jogador de Portugal, pois havia chegado atrasado e perdido uma coletiva com jogadores portugueses. Pois é, agora teremos que competir com o "jeitinho mexicano"...
Penso que uma das grandes crises do jornalismo, além da ética (que nem se descute), é a questão das fontes. Pretendo trabalhar um pouco sobre o assunto em meu Trabalho de Conclusão de Curso. No Brasil, principalmente em Brasília, há uma cultura generalizada do "off", quando o entrevistado faz revelações, mas pede que seu nome seja omitido da reportagem. Embora o "off" muitas vezes preserve a fonte, também cria a possibilidade do repórter "inventar" a fonte e, até mesmo, a informação.
Depois que até o Orkut foi elevado ao status de fonte, o que será que virá pela frente???
Bom final de semana e uma ótima torcida amanhã!

Torcer... Para o quê???

Não quero parecer pessimista. Já escrevi que não tenho nada contra os jogos de futebol em geral, muito menos em relação ao clima de torcida generalizada que a Copa do Mundo produz. Minha ressalva é que, nestes momentos, a ficção não deveria roubar todo o espaço da realidade.
Só em termos de Brasil, a fome assola muitas famílias, outras tantas não tem um teto para morar ou uma terra cultivar. Alguns têm o teto, mas não têm emprego para garantir a sobrevivência familiar.
Por outro lado, a imprensa omite, dissimula, engana. Faz estardalhaço em cima do nada e não investiga, não critica, nem expõe as mazelas dos três Poderes: Judiciário, Legislativo e Executivo.
Enquanto, isso, a gente vai levando.
Hoje, enquanto vinha para casa - mais cedo, graças ao jogo de estréia do Brasil na Copa - pensava que nosso país ainda está na pré-adolescência, amadurecendo. São quinhentos anos, contra mais de dois mil anos de alguns ou mais de cinco mil anos de outros. E, se formos analisar criteriosamente, estes não são tão perfeitos assim.
China viveu uma expansão demográfica desenfreada e enfrenta um regime autoritário. França, que já exportou os ideais de "Liberté, Igualité, Fraternité" não sabe o que fazer com seus imigrantes, muitos originados das relações espúrias entre suas ex-colônias. Os Estados Unidos também vivem uma xenofobia sem limites, embora seja o Eldorado escolhido por muitos latinos.
Ou seja, alguma coisa está fora de ordem, não é? Nesses momentos me vem a mente um pensamento de Jesus Cristo: "Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua Justiça, e as demais coisas serão acrescentadas".
Uma coisa que me chama a atenção, principalmente com tantas campanhas pela Paz, é que nesta idéia, a Justiça trará a Paz e não o contrário. Ou seja, a busca pela Paz pode ser infrutífera, pois ela consequência (e não causa) da Justiça.
Desta forma, como pensar em Justiça, quando há uma crise ética em todos os níveis da sociedade? Seja do consumidor que "furta" uma mercadoria no supermercado mesmo sem ter necessidade disso, ou pede desconto a custa da não elaboração de nota fiscal, ou compra mercadoria pirateada, seja do político ou do magistrado que, atende aos seus próprios interesses e não aos interesses públicos, seja da imprensa, que atende prioritariamente aos interesses comerciais e até mesmo políticos, ao invés de representar a sociedade.
Não descarto a necessidade de reforma política, eleitoral, judiciária, social. Mas, nenhuma delas terá valor, se não houver uma reforma ética. E ética não é uma matéria para ser apenas ensinada nas escolas ou faculdade. Ética existe (embora esteja meio escondida) para ser vivida no dia-a-dia.

Bom, prá você não ficar dizendo por aí que eu sou contra torcer pelo Brasil, aqui vai uma foto de parte da minha torcida organizada:

Mudança.... Radical?

Depois de duas decepções (Profissão Repórter, da Globo, e alteração do projeto gráfico da Folha), considerei positiva a reforma gráfica do Jornal do Brasil. Adequando-se a um formato próximo aos periódicos germânicos, inovou e agradou.
Claro que há muito a que ser adaptado, afinal, com a mudança no tamanho, não basta diminuir algumas fontes e refazer a diagramação. Mas, pelo menos, foi ousado e, se um projeto gráfico for bem trabalho, em breve será um grande diferencial nas publicações de jornais brasileiros.
Será que algum dos grandes jornais paulistas teriam coragem de tamanha mudança?
Bom final de semana a todos e bom início de Copa!!!

A coisa aqui tá preta...

Preparei esta fantática música - do final dos anos 70 - para um recital no início do ano e a ouvi no rádio hoje. Não tem tudo a ver com os dias atuais???

Meu Caro Amigo
Chico Buarque/ Francis Hime

Meu caro amigo me perdoe, por favor
Se eu não lhe faço uma visita
Mas como agora apareceu um portador
Mando notícias nessa fita

Aqui na terra 'tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol

Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

Muita mutreta pra levar a situação
Que a gente vai levando de teimoso e de pirraça
E a gente vai tomando que, também, sem a cachaça
Ninguém segura esse rojão

Meu caro amigo eu não pretendo provocar
Nem atiçar suas saudades
Mas acontece que não posso me furtar
A lhe contar as novidades

Aqui na terra 'tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol

Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

É pirueta pra cavar o ganha-pão
Que a gente vai cavando só de birra, só de sarro
E a gente vai fumando que, também, sem um cigarro
Ninguém segura esse rojão

Meu caro amigo eu quis até telefonar
Mas a tarifa não tem graça
Eu ando aflito pra fazer você ficar
A par de tudo que se passa

Aqui na terra 'tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol

Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

Muita careta pra engolir a transação
E a gente tá engolindo cada sapo no caminho
E a gente vai se amando que, também, sem um carinho
Ninguém segura esse rojão

Meu caro amigo eu bem queria lhe escrever
Mas o correio andou arisco
Se permitem, vou tentar lhe remeter
Notícias frescas nesse disco

Aqui na terra 'tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol

Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

A Marieta manda um beijo para os seus
Um beijo na família, na Cecília e nas crianças
O Francis aproveita pra também mandar lembranças
A todo o pessoal
Adeus
Google