.

Capa da Semana (89)

Ninguém me convence que a campanha ainda não começou...

Tucanos e voos rasos

Em ano eleitoral é importante ler tudo - de bom - que aparecer pela frente. O texto abaixo (parcial) foi uma dica do professor e economista José Amaral.

Serra e o fim da era paulista na política

Por que José Serra vacila tanto em anunciar-se candidato?

Para quem acompanha a política paulista com olhos de observador e tem contatos com aliados atuais e ex-aliados de Serra, a razão é simples.

Seu cálculo político era o seguinte: se perde as eleições para presidente, acaba sua carreira política; se se lança candidato a governador, mas o PSDB consegue emplacar o candidato a presidente, perde o partido para o aliado. Em qualquer hipótese, iria para o aposentadoria ou para segundo plano. Para ele só interessava uma das seguintes alternativas: ele presidente ou; ele governador e alguém do PT presidente. Ou o PSDB dava certo com ele; ou que explodisse, sem ele.

Esta foi a lógica que (des)orientou sua (in)decisão e que levou o partido a esse abraço de afogado. A ideia era enrolar até a convenção, lá analisar o que lhe fosse melhor.

(Leia na íntegra)

Retratos & Reflexos (89)

Mesmo com a baixa qualidade da câmera do celular, consegui captar algumas imagens em um lindo final de dia, ontem à noite, no centro de São Paulo.

 

 

 

  

 

Incorporar é preciso... Mas nem sempre possível

Uma das minhas bandas preferidas - Dave Matthews Band - tem um canal oficial no YouTube (com alguns vídeos bloqueados para o Brasil...). Infelizmente, a função de incorporação não é permitida, então confira uma performance ao vivo de Gray Street diretamente no site.

Humor de 1ª na Segunda (89)


Uma receita para a macarronada de domingo que vem.
A galera do stop motion é mesmo genial.
(Fonte: PES)

Capa da Semana (88)

 Algumas coisas chamaram a minha atenção na primeira página do
jornal i, recentemente lançado em Portugal: problemas envolvendo
política e dinheiro (financiamento de campanha) e a semelhança
da moeda de 1 euro com a nossa moeda de 1 real.

In dubio...

Saiu no Conjur:

Notícia com base em suposição é fuxico, diz desembargador
Por Marina Ito

A informação deve ser legítima, correta, verdadeira e não inverdade ou falácia, e pior, uma mera suposição, porque neste caso deixa de ser notícia e transforma-se em fuxico. A afirmação é do desembargador Lindolpho Morais Marinho, relator de um processo que resultou na condenação da Record. A emissora não conseguiu provar que uma mulher mencionada em depoimento de uma testemunha na Justiça Federal era a mesma pessoa apontada em notícia veiculada. Por isso, está obrigada a pagar indenização de R$ 50 mil para uma auditora da Receita Federal.

O caso foi discutido na 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que aumentou o valor da indenização por danos morais em ação contra a Record. O relator do caso afirmou que a imprensa é um “poderoso” instrumento que, quando é bem utilizado, ajuda a difundir o conhecimento, mas, caso contrário, pode destruir reputações. Cabe recurso a decisão.

Os desembargadores levaram em conta o fato de a Record ter informado o nome e o sobrenome da auditora, além do local onde o marido dela trabalha. Segundo os desembargadores, estes dados não foram apresentados no depoimento da testemunha. “Não há nos autos qualquer documento comprovando que a autora e pessoa citada no depoimento são as mesmas pessoas”, disse o relator.

Reflexão

A crítica do desembargador remete a duas reflexões. A primeira, claro, diz respeito à qualidade do jornalismo. A segunda deve considerar o fato de que a imprensa, em geral, baseia-se nas informações que recebe. No caso mais célebre, o da Escola Base, os veículos de comunicação ouviram os investigadores, o Ministério Público, peritos judiciais e os pais dos alunos da escola — todos indicando que houvera abuso sexual contra as crianças. Ao fim, todos estavam enganados. Mas só os veículos de comunicação e jornalistas foram condenados.

Os próprios juízes têm sido vítimas da irresponsabilidade acusatória. Para redimensionar a força de suas "conclusões", os integrantes mais articulados da polícia e do Ministério Público preparam o lançamento de suas revelações bombásticas em associação com seus jornalistas de confiança — que lançam as suspeitas e suposições policiais como verdades definitivas. Ao não encontrar nos autos as certezas veiculadas pela imprensa, a Justiça desqualifica as peças acusatórias e torna-se, ela mesma, acusada de uma impunidade que não houve.

O caso
No caso da Record, a reportagem abordou audiências na Justiça Federal em processos que envolviam a operação batizada pela Polícia Federal de Firula. A operação investigou a participação de empresários, que foram acusados de crimes de sonegação fiscal, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, em um esquema que utilizava empresas sediadas em paraísos fiscais e doleiros.

Os desembargadores afirmaram que a Record identificou uma funcionária da Receita apenas com o primeiro nome e não deu a ela o direito de se defender das acusações. De acordo com os autos, a testemunha ouvida pela Justiça Federal apenas disse que, na agenda de um dos investigados, as palavras peixe e lagoa se referiam a uma auditora da Receita, tendo citado apenas o primeiro nome, e ao marido dela.

Para a Câmara, a exposição da auditora foi grande e teve reflexo na sua vida profissional, já que a função que exerce tem a probidade como “locomotiva que impulsiona toda uma carreira”.

Os desembargadores apenas negaram o pedido da auditora para que a íntegra da decisão fosse publicada em veículo de grande circulação com o objetivo de obter uma retratação pública. Para a Câmara, devido ao tempo que já decorreu entre a divulgação da notícia e a decisão, a publicação não atingiria o objetivo de “restabelecer a “boa fama e reputação” da auditora e poderia, inclusive, “desenterrar” algo que já não é mais lembrado pela sociedade.

Em primeira instância, a juíza Flávia Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, condenou a emissora a pagar R$ 20 mil de indenização por danos morais. A Record recorreu. Alegou que apenas cumpriu seu direito de informar. Já a auditora recorreu para aumentar a indenização e para que fosse publicada a decisão. Apenas o primeiro pedido foi atendido.

Clique aqui para ler a decisão.

Retratos & Reflexos (88)


O italiano Pietro Masturzo venceu o concurso levou a Foto do ano no
World Press Photo of the Year 2009, com a fotografia Dos telhados de Teerã,
que revela o protesto de mulheres após as eleições de junho de 2009, no Irã.
Confira as demais fotos da série Roofs of Teheran aqui.

Prá (não) dar samba

Prá não dar samba
Confesso que fiquei preocupado com algumas ações da indústria fonográfica em combate à pirataria. Mesmo ciente de que todas as músicas do DoxaCast vêm de álbuns comprados por mim legalmente, ao colocá-los na rede a situaçao se complica. Enquanto não defino o destino do Doxa Cast, as terças serão preenchidas pelo DoxaTube. Será que publicar a videopirataria alheia também dá samba???
Sobre o assunto, neste final de semana, assisti o documentário Rip: A Remix Manifesto. É muito interessante e ainda dá um destaque especial para o Brasil, como uma espécie de modelo para essa questão de direitos autorais. Vale a pena conferir. Brett Gaylor parte de 4 premissas:
1) A cultura sempre se constrói baseada no passado;
2) O passado sempre tenta controlar o futuro;
3) O futuro está se tornando menos livre;
4) Para construir sociedades livres é preciso limitar o controle sobre o passado.

Pena que o site não libere o download ou a compra de DVDs para o Brasil!!! Contradições da vida... De qualquer forma, é possível assistir/baixar do YouTube em 9 partes, legendado. Veja a primeira delas, abaixo:


Prá dar samba
Zap pra cá, zap prá lá, no sábado o controle remoto me levou para um documentário com o sambista Germano Mathias, apresentado pela TV Cultura. O que me leva à constatação: Como é bom o samba de verdade!!! Confira Guarde a sandália dela / História de um valente, onde Mathias é acompanhado por Guilherme Vergueiro (piano), Raul de Souza (trombone), Luizinho 7 Cordas, Alex Buck (bateria) e Quinteto em Preto e Branco.

Humor de 1ª na Segunda (88)

(Fonte: Nadaver)

Capa da Semana (87)


A capa desta semana foi produzida pelos nossos hermanos argentinos.
O jornal Olé retratou a vitória da Argentina sobre a Jamaica com uma manchete
que remete a uma frase recente de don Diego. Para completar, fazem uma
associação a um dos jogadores da Argentina: "Que continuem fumando. Os
garotos de Bob Marley acreditaram que ganhariam, mas a Argentina que tinha o
Canuto". O nome do jogador - Canuto - pode ser uma gíria para baseado...

Notícia nos ares

Guerras, tragédias, acidentes. Em algumas situações o repórter está no centro da notícia. Aí surge o dilema: intervir ou registrar? Ontem um acidente vitimou o piloto do Águia Dourada helicóptero da TV Record. Não bastasse a guerra de motolinks em terra, os céus também são disputados. O GloboCop, da TV Globo, estava por perto e registrou o desastre. Confira as diferentes perspectivas e enfoques, além do processo de construção da notícia, através dos telejornais e edições especiais durante o dia:

14 minutos após o acidente - Globo News
Falta de informações = repetição exaustiva das imagens

40 minutos após o acidente - Globo News
Agora, mais informações...

2 horas e 40 minutos após o acidente - Globo News

A matéria, no Jornal Hoje


A matéria, no Jornal Nacional
A repórter (Giuliana Girardi), que estava no GloboCop, torna-se entrevistada

R7, às 7h49 - 29 minutos após o acidente

R7, às 8h08

R7, às 11h53

R7, às 12h37

R7, às 21h00
A homenagem da redação da Record, exibida no Jornal da Record.

As primeiras notícias na BandNews


Na Band, programa Dia Dia

No SP Acontece, às 13:49


A RedeTV! também tem diversos vídeos sobre o acidente (confira aqui), como estes, do programa A Tarde é Sua :


Pressa x Perfeição
Aliás, sobre o processo de construção da notícia, é interessante o quanto a confiança excessiva em uma fonte de informação considerada "confiável" pode resultar em uma barriga jornalística. O exemplo é de ontem, quando o astronauta Soichi Noguchi postou uma foto em seu Twitter tirada do espaço, afirmando tratar-se do Rio de Janeiro (veja aqui e confira os comentários). Ele errou. E muitos sites de notícia acompanharam o equívoco. O primeiro - que eu vi - que revelou a gafe, foi o G1 (confira na íntegra).

Retratos & Reflexos (87)

Jules Charbonnet, via Obvious.

Reflita. E vote.

Gladir Cabral é poeta, músico e pensador. Talento raro. E, na minha opinião, Este país é uma boa música para começarmos a refletir sobre o que faremos com nossos votos este ano. Mais um trabalho de qualidade realizado pelos amigos do Plataforma.

Humor de 1ª na Segunda (87)


Mudar hábitos pode ser divertido.
É a ideia da Volkswagen no projeto The Fun Theory.
Confira outros vídeos no site e o acima, legendado.
(Dica de Marcos Elias)

Capa da Semana (86)


O que você pode fazer com uma moedinha de R$ 0,50???
Em São Paulo, desde janeiro pode comprar o jornal Mais.
A nova publicação da Areté Editorial (que publica o Lance!) é mais
uma jogada deWalter de Mattos Júnior (leia mais no AdNews).
Com a chamada "+ informação por menos", é apresentado em
versão tablóide, com até 28 páginas e tiragem de 75 mil exemplares.
Dentre os jornais gratuitos - talvez seus maiores concorrentes -
acredito que a maior ameaça é o metro, com qualidade gráfica e
editorial superior e que ainda traz a possibilidade de baixar o
jornal integral na Internet (não só as edições brasileiras
como as de outros países - confira no site).

Interatividade

Em março, a "novela Nardoni" inicia seu capítulo mais importante: o julgamento. A mídia já começa a se preparar e, embora eu não concorde com o circo que é armado para casos como esses, acredito ser inevitável acompanhar a cobertura jornalística. Por isso, achei bem interessante o trabalho de arte feito pelo G1, com fotos de Daigo Oliva e texto da jornalista Luciana Bonadio, que mostra como é o plenário do júri, no Fórum de Santana e a provável disposição dos personagens que farão parte deste momento. Confira aqui.

Retratos & Reflexos (86)


Será que um dia algo vai superar a textura de uma foto p&b?

Múltiplas vozes

Confesso que não sou fã de Lady Gaga, mas é impossível escapar de fenômenos midiáticos como ela. De qualquer forma, achei interessante o trabalho de Naya Marie, com um arranjo a capella para quatro músicas da ganhadora de dois Grammys em 2010.

Humor de 1ª na Segunda (86)

Sabe aquele ratinho que você vem tentando pegar há tempos, rouba a isca, desarma a ratoeira e nada dele aparecer??? O mistério finalmente foi esclarecido:


Infelizmente - ou felizmente, se pensarmos nos pequenos roedores - esse queijo não existe! Trata-se de um vídeo produzido por John Nolan, designer de animatronics que trabalhou em Onde Vivem os Monstros, Hellboy II e dois filmes da saga Harry Potter, além de outras produções. Pois é, se ele produziu o vídeo acima nas horas de lazer, só para se divertir, imagine o que ele faz quando está "trabalhando pra valer"...
Na trilha musical, Carpenters, The Doors e Survivor.
Google