.

Centenário

 “À luz de um lampião, na esquina das ruas dos Italianos e José Paulino, no bairro do Bom Retiro, por volta das 20h30 do dia 1º de setembro de 1910, foi fundado o Sport Club Corinthians Paulista”. É o que dizia a placa sob uma réplica do referido lampião, que hoje se encontra na entrada do Parque São Jorge.

Sabe-se, no entanto, que houve várias reuniões até a concretização da idéia dos cinco operários fundadores: Joaquim Ambrósio e Antônio Pereira, pintores de parede; Rafael Perrone, sapateiro; Anselmo Correia, motorista; e Carlos Silva, trabalhador braçal. Em uma delas, feita para a escolha do nome, Ambrósio sugeriu: “Por que não Corinthians?”. Como os outros, ele estava encantado com as exibições do Corinthians Team, o melhor time da Inglaterra, que excursionou ao Brasil em agosto de 1910. Estava batizada uma paixão.

Dado o nome, comprada a bola (na rua São Caetano, por 6 mil réis, arrecadados com uma lista que correu a vizinhança), arranjado o campo (o “lenheiro”, terreno onde, como o nome diz, um vendedor de madeira guardava seu material de trabalho, só faltava jogar. A derrota para o Uniao Lapa, por apenas 1 a 0, foi recebida com festa. Afinal, tratava-se de um adversário já estabelecido na várzea paulistana.

E na várzea o Corinthians viveu seus primeiros dois anos. Até que um dia ela ficou pequena para o clube dos operários, e eles passaram a alimentar o sonho de jogar campeonatos oficiais. Conseguiram, após muita luta. Se em seu primeiro ano na Liga Paulista (1913) o Corinthians não foi bem, em 1914 levantou seu primeiro troféu, e invicto. Em 1916, repetiu a dose, novamente sem derrota.

Quando os dois campeonatos paulistas foram unificados, em 1917, o Corinthians já era grande. Nasceu humilde, como seu povo, mas agora estava pronto para mais e maiores conquistas. 

A história do Corinthians começa assim. Mas, cem anos não se conta em algumas linhas. Por isso, viaje pelo site oficial na trajetória do Timão e curta a continuidade do histórico acima. Para os mais fanáticos, dia 31 de agosto foi o lançamento da Bíblia do Corintiano, de Celso Unzelte (confira entrevista com o autor). E também vale a pena Uma história Corintiana contada por André Kfouri.

0 Opiniões:

Google